Você está em:

Dicas e Histórias de Sucesso

Custo fixo x custo variável: saiba o que são e aprenda como identificá-los!

Você conhece a diferença entre custo fixo e custo variável? Entenda a importância de cada conceito e veja como identificar e controlar.
Publicado por Equipe Cielo

Saber diferenciar custo fixo x custo variável é essencial para a gestão de um negócio.

A rotina de uma empresa de qualquer tipo, tamanho e segmento tem entradas e saídas, ou seja, receitas e despesas.

E o sucesso de um negócio está justamente em saber dosar essas duas variáveis para ter os melhores resultados.

Isso envolve produzir ao menor custo possível e vender a um preço justo, que proporcione uma boa margem de lucro sem deixar de ser competitivo para o consumidor.

Tudo isso está ligado diretamente à questão custo fixo x custo variável.

Então, siga lendo para saber como gerenciar melhor as finanças da empresa.

Custo fixo x custo variável: entenda as diferenças

Toda empresa tem custos para funcionar, qualquer que seja seu porte e sua área de atuação.

O controle desses custos é essencial para a business intelligence do negócio, ou seja, as técnicas que você usa para embasar sua tomada de decisões.

Um planejamento orçamentário depende da diferenciação de custo fixo x custo variável,

Sem saber identificar cada tipo de gasto, você não conseguirá fazer a precificação de seus produtos, o que tornaria inviável definir estratégias para aumentar o ticket médio.

Por outro lado, o conhecimento desses dois tipos torna mais fácil o controle das entradas e saídas.

Por isso, vamos explicar a partir de agora cada um desses conceitos.

O que é custo fixo em uma empresa?

Custos fixos são aqueles que não estão atrelados à produtividade e às vendas de uma empresa.

Esses custos não vão ser maiores se as vendas ou a produção aumentarem, da mesma forma que não vão diminuir caso ocorra o contrário.

Por isso, também são chamados de custos indiretos.

Porém, isso não significa que eles vão seguir sempre iguais.

Esses custos podem ter alguma oscilação, por fatores como inflação ou outros reajustes, mas dificilmente ela será significativa.

Uma empresa que tem o custo fixo bem administrado tem mais chances de economizar, pois sabe onde cortar gastos para melhorar a rentabilidade.

Exemplos de custos fixos

Para você entender melhor, confira alguns exemplos de custos fixos:

  • Aluguel de espaço;
  • Folha salarial;
  • Pró-labore;
  • Tarifas bancárias;
  • Gastos com contadores e advogados;
  • Serviços de segurança;
  • Serviços de limpeza;
  • Manutenção de equipamentos;
  • Mensalidade da internet;
  • Tributos fixos, como IPTU.

Observe que nenhum deles vai aumentar ou diminuir dependendo do quanto a empresa produzir ou vender.

Com os custos variáveis, acontece o contrário, como vamos mostrar na sequência.

O que é custo variável em uma empresa?

Já os custos variáveis são exatamente o oposto dos fixos: eles aumentam ou diminuem de acordo com o volume de vendas e a produção da empresa.

Portanto, são custos que só aparecem no momento em que a empresa vende ou produz.

Por isso, são chamados de custos diretos.

Afinal, eles vão impactar diretamente na precificação do produto ou serviço.

Por isso, são de conhecimento essencial para a elaboração do seu planejamento de vendas.

É importante ressaltar que os custos variáveis podem aumentar. Inclusive, esse é um processo natural, que indica o crescimento das vendas ou na produção.

Nessas horas, a preocupação do gestor precisa ser manter o negócio lucrativo.

Exemplos de custos variáveis

Para entender bem a diferença de custo fixo x custo variável, veja os exemplos abaixo:

  • Compra de matéria-prima;
  • Gastos com logística e entrega;
  • Gastos com combustível;
  • Taxas de remessa;
  • Comissões para vendedores;
  • Horas extras para funcionários;
  • Tributos sobre vendas, como ICMS;
  • Custos do gateway de pagamento (para e-commerces);
  • Taxas da máquina de cartão (para lojas físicas);
  • Taxas de cartão de crédito.

Observe que cada item tem um impacto direto na venda ou na produção da empresa.

Você deve ter percebido que não existe uma fórmula para definir custo fixo x custo variável.

Porém, com os exemplos que demos acima, ficou mais fácil de compreender a ideia, certo?

Existem custos híbridos?

É importante destacar que existem também os custos chamados de “híbridos”, pois podem ser dos dois tipos dependendo da atividade da empresa.

Um bom exemplo é a energia elétrica: é custo fixo para escritórios, mas variável para indústrias que dependem dela para a produção.

Assim, quanto mais a indústria produzir, mais alta virá a conta de luz.

Portanto, conhecer a atividade da empresa é indispensável para identificar esses custos.

Vamos mostrar agora como fazer isso.

Como identificar os custos fixos e variáveis do negócio?

Se você pretende identificar os custos fixos e variáveis da sua empresa, a primeira etapa é anotar todas as suas saídas e entradas em um livro de registros.

Apesar do nome, é claro que o ideal é usar uma planilha no Excel ou no Google Drive, mas ainda assim ela é chamada de livro de registros.

Ao visualizar suas saídas listadas, ficará mais fácil identificar o que é custo fixo x custo variável em um mês – ou no período que você escolher.

Inclua nesta tabela dados de produção ou faturamento com vendas, para poder comparar o nível de atividade com os custos envolvidos.

Para calcular o custo fixo de um item, a primeira etapa é somar o custo fixo total do período indicado.

Depois, divida esse custo pela quantidade de itens produzidos ou vendidos na mesma época.

Assim, você saberá qual é o custo fixo unitário.

Comparando este resultado com o faturamento da sua loja, você poderá ter mais segurança na sua tomada de decisões.

A mesma lógica pode ser aplicada para o custo variável, e o cálculo é ainda mais fácil: basta pegar o valor total e dividir pelo total de produtos.

Você tem muito a ganhar conhecendo esses valores, como vamos explicar na sequência.

Qual é a importância de saber os custos fixos e variáveis?

A separação dos seus gastos em custo fixo x custo variável é o primeiro passo.

Porém, você precisa conhecer cada um desses números na sua empresa para poder melhorar o seu fluxo de caixa.

Assim, pode melhorar a margem de lucro ou baixar seu preço para aumentar a competitividade.

E isso vale para qualquer tipo de negócio.

Em uma empresa com atividade sazonal, isto é, que varia conforme a época do ano, saber os custos fixos e variáveis é importante para manter o planejamento financeiro em épocas de menor receita.

Mas mesmo se sua atividade for regular ao longo do ano, conhecer os custos de seu produto ou serviço ajuda na precificação.

Esta informação é importante até na hora de criar promoções para melhorar suas vendas.

Afinal, se a maior parte dos custos são fixos, quanto maior o volume de vendas, mais esses gastos vão se diluir e você ganha na quantidade.

Portanto, promoções para aumentar as vendas serão sempre bem-vindas.

Já uma empresa com mais custos variáveis precisa manter a margem de lucro a cada venda.

Portanto, se fizer promoções, precisa calcular bem o valor a ser cobrado para não comprometer a lucratividade.

É importante também diferenciar custos de despesas

Para um controle eficiente dos gastos, é preciso saber diferenciar custos de despesas.

Os custos de um negócio, sejam fixos ou variáveis, são gastos diretamente ligados à atividade-fim da empresa, seja ela de venda ou de produção.

Já as despesas não têm impacto direto no serviço prestado ou produto vendido.

Por isso, é mais fácil reduzir despesas do que custos em uma empresa.

São exemplos de despesas:

  • Material de escritório;
  • Taxas bancárias;
  • Seguros (contra incêndio ou roubo, por exemplo);
  • Assinatura de sistemas, como um software de gestão;
  • Segurança privada;
  • Manutenção de equipamentos;
  • Multas (de trânsito ou qualquer outra);
  • Ações de marketing ou publicidade.

Fazer essa diferenciação é importante porque uma eventual confusão entre custos e despesas pode prejudicar toda a análise e até mesmo sua lucratividade.

Por exemplo, se você considerar uma despesa como custo, ela será levada em consideração na precificação.

Assim, você cobra mais do que o necessário pelo item, perdendo espaço para seus concorrentes que terão um preço mais competitivo.

Controle os custos e faça seu negócio decolar

Como você leu nesse texto, o controle de custos é essencial para o funcionamento de um negócio, seja qual for o tamanho e o segmento em que atua.

Sem a elaboração de um livro de registros para determinar a separação entre custo fixo x custo variável, fica difícil estabelecer um preço competitivo.

Os cálculos que mostramos acima são necessários para que você possa ser mais competitivo no mercado.

Com eles, você poderá estipular preço nem muito baixo para prejudicar sua margem de lucro e nem muito alto para perder para os concorrentes.

Além disso, esses dados podem facilitar a definição de medidas de corte de gastos.

A Cielo conta com soluções que podem ajudar sua empresa a controlar as entradas e saídas tanto em vendas físicas quanto no e-commerce.

Com a Cielo como parceira, seu negócio chega mais longe!


Portfólio de Soluções! Encontre a que melhor combina com você.

Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo LIO

A máquina inteligente que trabalha por você e economiza seu dinheiro.
Saiba mais
Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo FLASH

A maquininha ultraveloz para você vender muito mais
Saiba mais
Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo ZIP

Na Cielo Você ganha! sua maquininha de verdade.
Saiba mais

Entre em contato e prepare-se para vender mais:

Central de Relacionamento

4002-5472 (todas as localidades)
0800-579-8472 (exceto capitais)

Suporte Técnico

4002-9111 (todas as localidades)
0800-579-0111 (exceto capitais)

Ouvidoria

0800-570-2288