Você está em:

Produtos e Serviços

Entenda o que é e como calcular a margem de lucro de produtos e serviços

Quer saber como calcular a margem de lucro? Entenda a importância da métrica, sua fórmula e como precificar produtos e serviços com ela.
Publicado por Equipe Cielo

Saber como calcular a margem de lucro de produtos e serviços é fundamental para qualquer negócio. Afinal, não basta focar no faturamento total ou nos números de vendas. Se os custos também forem altos, uma boa receita não será garantia de saúde financeira.

A margem de lucro coloca em termos percentuais o retorno financeiro que um produto ou serviço precisa trazer para a empresa.

Aprender sua fórmula e cálculo, portanto, tem relação com uma missão de todo gestor: definir o preço de venda.

Se você tem dúvidas nessa hora, não deixe de acompanhar este conteúdo até o final.

Além de entender melhor o conceito, vamos ver a importância de calcular corretamente, quais são os tipos de margem de lucro e a sua diferença para o lucro propriamente dito.

O que é margem de lucro?

A margem de lucro é um indicador que estabelece em termos percentuais quanto a empresa ganha com a venda de um produto ou prestação de um serviço.

Ela revela, basicamente, quanto da receita total obtida realmente se converte em lucro para o negócio.

Esse lucro, por sua vez, é encontrado na diferença (subtração) entre o faturamento obtido com a venda do produto ou serviço e os custos registrados.

Ao longo deste artigo, esses conceitos ficarão bastante claros.

De momento, vale saber que aprender como calcular a margem de lucro é a única forma de ter um quadro realista da situação financeira, precificando suas vendas corretamente.

Qual é a importância de calcular a margem de lucro corretamente?

Saber avaliar e monitorar a lucratividade da empresa (e de cada produto ou serviço que ela oferece) é um ponto-chave para seu sucesso.

Há negócios que, mesmo com bons indicadores de venda, sofrem com problemas de saúde financeira e têm dificuldade para crescer.

Isso acontece porque muitos gestores olham apenas para quanto dinheiro está entrando ou ainda se confundem com os cálculos referentes à margem de lucro e precificação.

Quem precifica por instinto ou baseado em um desejo de faturamento, tem grande chance de passar por apuros financeiros.

Ao calcular a margem de lucro corretamente, você descobre se a empresa é rentável como gostaria.

Mais do que isso: identifica se cada produto ou serviço que oferece está trazendo o retorno financeiro mínimo desejado.

Por isso, é um indicador diretamente relacionado com o planejamento de vendas.

Mais à frente, vamos apresentar o cálculo e trazer um exemplo que vai reforçar a importância de conhecer sua margem.

Quais são os tipos de margem de lucro?

Agora você já entende o que é margem de lucro, mas sabia que há dois tipos diferentes?

Sim, existe a margem de lucro bruta e a margem de lucro líquida. Veja:

  • Margem de lucro bruta: é um percentual que leva em conta a relação entre lucro e receita total. Se faturou R$ 50 mil e o lucro bruto foi de R$ 15 mil, sua margem é de 30%
  • Margem de lucro líquida: estabelece o percentual relativo ao ganho real, que corresponde ao lucro líquido, descontando todos os custos do negócio. Se faturou R$ 50 mil e o lucro líquido foi de R$ 5 mil, sua margem é de 10%.

A lucratividade real da empresa é indicada pela margem de lucro líquida, que é um cálculo feito em um segundo momento, a partir do resultado da margem de lucro bruta, verificada inicialmente.

Pode parecer um pouco confuso à primeira vista, mas a principal diferença entre eles é bem básica e nada complexa, se olharmos como funciona na prática.

A margem de lucro bruta tem muito a ver com o custo de produção daquele bem ou serviço oferecido.

Ela é calculada a partir do faturamento de uma transação, subtraindo as despesas e custos envolvidos e chegando a um percentual que indica o ganho bruto.

Já a margem de lucro líquida pega esse percentual e compara com a receita total do negócio, levando em conta mais um “detalhe” importantíssimo: todos os custos da operação.

Não apenas as despesas de produção daquele bem e os impostos, mas tudo que envolve o negócio: salários, benefícios, aluguel, material, depreciação de bens, etc.

Isso fica mais claro ao diferenciarmos lucro e margem de lucro, como você confere na sequência.

Entenda a diferença entre lucro e margem de lucro

Além da diferença entre margem bruta e líquida, que acabamos de ver, é preciso entender também a distinção entre lucro e margem de lucro.

É uma diferença bem simples, mas importante de ter em mente para entrar nos cálculos que vamos ver a seguir.

Basicamente, o lucro é o valor que a empresa ganha por um negócio, depois de pagar seus custos de produção e operação.

É sempre um número. Por exemplo: R$ 5 a cada sanduíche vendido.

Enquanto isso, a margem de lucro é um percentual que indica os ganhos.

No exemplo acima, se o lucro é de R$ 5 e o sanduíche é vendido a R$ 20, a margem de lucro é de 25%.

Nesse caso, conforme o tópico anterior, estamos falando da margem de lucro bruta, pois no cálculo ainda não foram descontados outros custos gerais da operação, como aluguel do ponto de venda, salário do funcionário que prepara o sanduíche, etc.

Como calcular a margem de lucro?

Dito tudo isso, vamos à matemática.

A fórmula para calcular a porcentagem da margem de lucro é a seguinte:

  • Margem de lucro = (lucro / receita total) x 100.

Foi assim que chegamos ao valor do exemplo citado no tópico anterior.

Afinal, se a venda de um determinado produto gera uma receita de R$ 20 e o lucro é de R$ 5, o cálculo fica:

  • Margem de lucro = (5 / 20) x 100
  • Margem de lucro = 0,25 x 100
  • Margem de lucro = 25%.

Para chegar aos números que permitem fazer essa conta com facilidade, é preciso entender as variáveis que estão em jogo no seu negócio, como veremos a seguir.

Entenda os custos

Os custos estão intimamente relacionados ao lucro e, consequentemente, à margem de lucro.

No exemplo simples que temos usado ao longo deste texto, eles equivalem a 75% do valor pago pelo cliente por cada sanduíche, no caso, R$ 15.

Se o preço de determinado ingrediente subir, fazendo o custo total ultrapassar R$ 15, isto vai impactar diretamente na lucratividade do negócio, diminuindo a margem.

Da mesma forma, se você pesquisar fornecedores mais baratos, por exemplo, e conseguir diminuir o custo (mantendo a qualidade), o lucro vai ser maior.

Outro conceito importante relacionado a isso é o ticket médio, ou seja, o valor gasto por cada cliente com o seu negócio.

Como precificar o produto/serviço

A definição do preço de um produto ou serviço depende da margem de lucro almejada, mas ele não pode ser balizado unicamente pelo seu desejo.

Na hora de precificar, é importante observar os seguintes pontos:

  • O mercado: é preciso praticar preços condizentes com o que os clientes em potencial estão dispostos a pagar (e o que a concorrência cobra)
  • O tipo de produto: se você vende produtos ou serviços de alto valor agregado, como veículos, imóveis, entre outros, precisará de uma margem de lucro maior. Em outros casos, é possível praticar preços baixos e ganhar no volume
  • Planeje custos e despesas: não esqueça do conceito da margem de lucro líquida, levando em conta o tamanho da operação, se há custos com sede física, funcionários, etc.

Como estabelecer o lucro final?

Para chegar à definição do lucro desejado, não pense no lucro, mas sim na margem de lucro.

Uma porcentagem alta (em vez de apenas um número alto por operação) vai ajudar na hora de fazer um esforço para escalar o negócio.

Pense na demanda existente pela solução que você oferece e preste atenção na dica que daremos no próximo tópico.

Como saber se a margem de lucro é boa?

Para saber se a sua margem de lucro é boa, considere as variáveis envolvidas, sendo que a principal é o ramo de atuação da sua empresa.

Por exemplo, uma margem de lucro de 35% pode parecer gigante, mas se você estiver em um negócio de joias de luxo, por exemplo, talvez não seja.

Porque, nesse caso, é possível que você leve dias para vender uma única peça de altíssimo valor agregado.

Além disso, pode ser que seus concorrentes pratiquem, digamos, 40% ou 50% – lembrando que isso é um exemplo hipotético.

Da mesma forma, se você vende por conta própria ou com um e-commerce, pode ter custos muito mais baixos do que teria para montar uma loja em um shopping, por exemplo.

Nesse caso, poderá baixar um pouco a margem de lucro para vender mais.

Enfim, a análise é bem particular de caso para caso, e deve levar em conta os detalhes específicos do seu negócio.

De forma geral, estima-se que o lucro para a indústria, que geralmente tem variáveis mais controladas, deve ficar entre 8% e 12%.

Já no comércio, uma margem de 15% a 20% pode ser boa, enquanto no ramo de serviços, é aconselhável buscar uma margem de lucro de 20% a 30%.

Antecipe os pagamentos no cartão e melhore seu fluxo de caixa

Uma excelente dica para finalizar este texto é antecipar os pagamentos recebidos no cartão de crédito para melhorar seu fluxo de caixa.

Com o Unifica, você pode ter um panorama geral do seu negócio, o que vai ajudar muito na hora de calcular a margem de lucro.

Venha para a Cielo e melhore a sua lucratividade!


Portfólio de Soluções! Encontre a que melhor combina com você.

Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo LIO

A máquina inteligente que trabalha por você e economiza seu dinheiro.
Saiba mais
Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo FLASH

A maquininha ultraveloz para você vender muito mais
Saiba mais
Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo ZIP

Na Cielo Você ganha! sua maquininha de verdade.
Saiba mais

Entre em contato e prepare-se para vender mais:

Central de Relacionamento

4002-5472 (todas as localidades)
0800-579-8472 (exceto capitais)

Suporte Técnico

4002-9111 (todas as localidades)
0800-579-0111 (exceto capitais)

Ouvidoria

0800-570-2288