Você está em:

Dicas e Histórias de Sucesso

Como começar um e-commerce do zero? Descubra como alcançar o sucesso!

Publicado por Equipe Cielo

As compras online eram uma conveniência. Agora, o consumo online é uma necessidade e as vendas no meio digital crescem ano a ano. Por isso, muita gente se pergunta: como começar um e-commerce do zero?

A boa notícia é que ter uma loja virtual não é um “bicho de sete cabeças” e você pode ter seu próprio site de e-commerce em pouco tempo. Afinal, no comércio eletrônico há maior flexibilidade, acessibilidade e oportunidades para quem está começando a empreender.

Por isso, reunimos aqui neste conteúdo todas as informações que você precisa para saber como começar um e-commerce e ter sua loja virtual funcionamento rapidamente.

O que é o comércio eletrônico?

Comércio eletrônico (e-commerce) é a modalidade comercial que abrange a compra e venda de produtos/serviços realizadas pela internet.

A definição de e-commerce inclui vários tipos de relações comerciais, tais como:

  • Entre empresas e consumidores finais (B2C, sigla para o termo Business-to-Consumer);
  • Empresas e empresas (B2B, do termo Business-to-Business);
  • Ou até entre consumidores (C2C), que vem do termo Consumer-to-Consumer e é referente ao comércio eletrônico que envolve pessoas físicas na internet.

O comércio eletrônico como conhecemos atualmente surgiu nos Estados Unidos e se popularizou nos anos 90.

Já aqui no Brasil, podemos dizer que e-commerce se consolidou do ano 2000 em diante e mantém o crescimento deste então.

Números do e-commerce no Brasil

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), até 2026, este segmento deve alcançar mais de R$ 232 bilhões de faturamento e teremos cerca de 97 milhões de pessoas fazendo compras online aqui no Brasil.

Essa projeção engloba ainda mais de 455 milhões de pedidos feitos via internet, com um ticket médio de R$ 510.

Ainda de acordo com a ABComm, o e-commerce brasileiro faturou cerca de R$ 150 bilhões em 2021 e a previsão para 2022 é que este faturamento alcance R$ 169 bilhões.

Com estes números, não resta dúvidas: há boas oportunidades para quem deseja ter uma loja virtual.

Precisa de CNPJ para começar um e-commerce do zero?

Essa é uma das primeiras dúvidas de quem quer começar um e-commerce do zero, mas a verdade é que não é necessário ter um CNPJ para abrir sua loja virtual.

A legislação brasileira não obriga os sites de comércio eletrônico a terem um número no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica.

No entanto, ter um CNPJ em um site de vendas é uma prática recomendada para quem deseja conquistar boa reputação e passar credibilidade para quem compra.

Para você aprofundar mais neste assunto, recomendamos a leitura de outro texto aqui do nosso blog: “Como criar um CNPJ para loja virtual?

O que você precisa saber antes de criar um e-commerce

Pensar previamente em certos detalhes da sua loja virtual pode significar a diferença entre ter sucesso ou não no seu empreendimento.

Por isso, antes de montar sua loja virtual, você deve focar em dois aspectos: a definição do nicho de mercado em que seu e-commerce irá atuar e a criação dos objetivos do seu negócio.

1. Definindo um nicho de mercado para sua loja virtual

O que você quer vender? Pode parecer óbvio, mas muitos sites não têm um nicho de atuação bem definido e tentam vender centenas de produtos, distribuídos em outra centena de categorias e foco estratégico zero.

Se você não pretende concorrer com gigantes da internet, não precisa ter um catálogo online com oferta interminável de itens. Escolha um nicho e concentre seus esforços nele.

Comece avaliando outras lojas virtuais no segmento desejado e identifique se há “brechas de oportunidade” para sua empresa atuar também.

Evite escolher um nicho com muita concorrência – pois vai ser mais difícil conseguir “um lugar ao Sol”. Por outro lado, a ausência de concorrentes pode significar que não há tanta demanda do mercado.

Pesquise, estude e tenha um foco bem definido do que seu e-commerce vai vender. Isso vai facilitar, inclusive, a busca para conseguir os melhores fornecedores para sua loja virtual.

2. Criando um plano de negócios e estabelecendo os objetivos do seu e-commerce

Definiu como será o seu e-commerce? Então, é hora de criar um plano de negócios. O plano de negócios é o documento onde você coloca as informações sobre os objetivos do seu negócio e o que você precisa ser feito para que eles sejam alcançados.

De acordo com o Sebrae, um plano de negócios é elaborado em sete etapas:

  1. Definição do negócio e dos seus diferenciais competitivos (nicho de mercado);
  2. Análise de mercado (concorrência);
  3. Plano de marketing;
  4. Plano operacional (incluindo armazenamento e logística de envio);
  5. Plano financeiro;
  6. Análise estratégia e de cenários;
  7. Avaliação do plano de negócios (revisão de tudo que está no planejamento).

Com seu plano de negócios pronto, é hora de ver o que é preciso fazer para ter o seu e-commerce!

E-commerce do zero: primeiros passos para ter um site de comércio eletrônico

Ter um e-commerce não é complicado, mas exige cuidado e atenção com cada etapa. Confira os primeiros passos para ter uma loja virtual e começar a vender online:

1. Escolha da plataforma de e-commerce

A plataforma de e-commerce é o sistema que você vai usar como base para montar sua loja. Existem basicamente três opções no mercado:

  • Gratuitas: são mais simples e possuem recursos limitados, que não permitem uma personalização muito avançada;
  • Código aberto: também são gratuitas, porém exigem a contratação de um desenvolvedor para construir a loja do zero utilizando os códigos disponíveis – o org é uma das mais populares;
  • Pagas: costumam ter suporte de qualidade, além de oferecer a possibilidade de customizaçã Exemplo: Adobe Commerce – Magento, WordPress.com etc.

Escolha uma plataforma que ofereça os recursos que você precisa, que tenha um suporte de qualidade e possa ser customizada de acordo com suas necessidades.

Importante: embora existam opções de sites prontos no mercado, é sempre bom contar com suporte especializado para ajudar você nesta escolha. Se possível, contrate uma pessoa que trabalhe com Web Design e/ou Desenvolvimento Web.

2. Definição do nome e registro do domínio do site

E aí, já pensou no nome da sua loja virtual? É provável que sim, mas quando falamos de comércio eletrônico, é importante que o nome da sua marca possa estar presente no domínio do seu e-commerce.

O domínio é o famoso endereço eletrônico que identifica um site, permitindo que ele seja acessado pelos navegadores de internet. O endereço do site da Cielo, por exemplo, é cielo.com.br.

Endereços com final .br podem ser realizados no site Registro.br, que cuida dos registros aqui no Brasil.

Já domínios que terminam com a extensão .com ou .net, por exemplo, são considerados domínios internacionais. Neste caso, você deve procurar empresas que ofereçam este tipo de registro.

É importante pesquisar se o domínio que você quer registrar está livre para isso. Um exemplo: se você quisesse registrar o domínio <cielo.com.br>, veria que ele não está disponível para registro.

Esse tipo de pesquisa pode ser feito através de uma busca no próprio Registro.br (domínios .br) ou em sites como a GoDaddy (para domínios com outras extensões).

Para registrar o domínio do seu e-commerce, você vai precisar pagar uma taxa para usar o endereço registrado por um determinado período – o prazo mínimo é de um ano.

Muitas vezes, você também vai ter a opção de registrar o domínio através do serviço de hospedagem do seu site (que é o tópico que falaremos em seguida).

3. Contratação de serviço de hospedagem

O serviço de hospedagem é, basicamente, o “terreno” onde sua loja virtual será construída. Ele é o servidor onde sua loja ficará armazenada na internet e define aspectos como velocidade do carregamento das páginas, estabilidade do site, capacidade de armazenamento etc.

Existem três tipos de serviços de hospedagem:

  • Servidor dedicado: é de uso exclusivo da sua loja e construído sob medida para as suas necessidades (ideal para grandes empresas);
  • Cloud server: utiliza dados em nuvem para armazenamento, hospedando seu site 100% online;
  • Servidor compartilhado: utiliza um único servidor para diversos usuá

Nos serviços de hospedagem, você poderá escolher os planos mais adequados para o seu site, de acordo com o espaço que você precisa para armazenar conteúdos, imagens e vídeos.

Lembrando: a escolha do servidor influencia diretamente no desempenho do seu site, incluindo critérios como velocidade de carregamento, estabilidade e navegabilidade.

A segurança também pode ser impactada por esta escolha – por isso, pesquise bem sobre a reputação das empresas que oferecem este serviço.

4. Atenção com a segurança

A segurança deve ser prioridade em qualquer loja online, principalmente com o aumento exponencial dos ataques cibernéticos.

Para você ter uma ideia, as tentativas de fraude no e-commerce cresceram mais de 45% durante a pandemia, incluindo ataques hackers, roubos de dados e clonagem de cartões.

Por isso, seu e-commerce precisa, no mínimo, de um certificado SSL/TLS (Secure Sockets Layer/Transpor Layer Security). Não há uma tradução exata destes termos para o português, mas podemos dizer que o SSL/TLS é uma espécie de camada que decodifica e protege as informações de ataques.

O certificado SSL/TLS acrescenta o famoso “https” e o ícone do cadeado na barra de endereço do navegador. Isso mostra que seu site é seguro para quem está acessando.

Atualmente, a maioria dos servidores oferecem o SSL/TL como um serviço integrado no momento de contratação da hospedagem. Busque informações sobre isso.

5. Desenvolvimento de identidade visual e do layout do site

A identidade visual deve ser prioridade na sua loja online, pois ela é essencial para identificar sua marca e diferenciar o seu e-commerce da concorrência.

Um visual bonito sempre ajuda a passar uma boa impressão para quem está comprando e influencia a decisão de compra.

Além de um logotipo, seu e-commerce deve ter um esquema de cores harmônico (paleta), que possibilite reforçar a “cara” da sua empresa para o seu público.

Se possível, contrate um(a) profissional de Design para criar sua marca e a identidade visual da sua empresa. Mas, se não der, uma alternativa é buscar sites que oferecem este serviço (há opções pagas e gratuitas).

Tanto a marca quanto a paleta de cores serão usadas para desenvolver o layout do seu site e garantir que ela tenha a “cara” da sua empresa.

Mais uma vez, é recomendável contar com o serviço de um profissional especializado para realizar esta tarefa. No caso, alguém que trabalhe com Web Design e/ou Desenvolvimento Web.

Esta mesma pessoa também poderá dar suporte na hora de fazer alguma manutenção no sistema e publicar o seu site – que nada mais é do que colocar sua loja virtual “no ar”, permitindo que ela possa ser acessada.

6. Desenvolvimento e categorização do catálogo de produtos

O catálogo de produtos do seu site deve ser o mais detalhado possível e trazer imagens impactantes dos itens que você vende.

E para tirar boas fotos de produtos para vender, você não precisa de equipamentos profissionais. Basta ter um celular com uma boa câmera, um tripé e utilizar a iluminação correta para conseguir belas imagens.

Lembre-se de fotografar seus produtos de vários ângulos com um formato padronizado e criar descrições atrativas para despertar o interesse dos clientes.

Outro ponto importante é classificar os produtos em categorias bem definidas e que facilitem a navegação de seus clientes. Afinal, ninguém gosta de ficar revirando um site para achar o que deseja comprar, né?

7. Definição da logística e do sistema de pagamentos

A logística é um dos pontos mais importantes – e sensíveis – de um e-commerce. Afinal, a entrega dos produtos é a concretização da experiência de compra de cada cliente.

Por isso, você precisa definir se vai entregar os pedidos realizados no seu e-commerce pelos Correios ou utilizando transportadoras (ou ambos).

A maioria das plataformas de e-commerce já vêm com módulos/opções de configuração de frete.

Vale também escolher um sistema de pagamento eletrônico que inclua o cálculo de frete integrado.

Aliás, o sistema de pagamento tem uma importância tão grande no seu e-commerce que merece atenção especial aqui neste conteúdo… Vamos lá?

Sistema de pagamento online: como escolher a plataforma para o seu e-commerce

O que adianta ter um site lindo, com produtos incríveis, bons preços e ótimos prazos de entrega se, na hora de pagar, as pessoas não se sentem seguras para fechar a compra?

No Brasil, a taxa de abandono de carrinho chega a 71%. E ter uma página de checkout transparente (em que as pessoas não precisam migrar para o site do processador de pagamentos para concluir a compra) é essencial para evitar esse problema e aumentar as vendas no seu e-commerce.

Ter um bom gateway de pagamento é fundamental para o comércio eletrônico. Afinal, como a tradução do termo já diz, o gateway de pagamentos é a “porta de entrada” que integra o site, as instituições financeiras e as adquirentes na hora que a compra é feita.

O gateway “abre” uma passagem entre sistemas distintos, permitindo que as transações de pagamento sejam realizadas. Isso inclui a captação, a transmissão e o armazenamento de dados.

Por isso, ao escolher a plataforma de pagamentos para o seu e-commerce, considere:

  • Segurança: a plataforma tem sistema antifraude integrado? E certificações de segurança? Qual o protocolo de autenticação utilizado? Como é feita a validação de dados para evitar chargebacks de fraude (vendas não reconhecidas pela pessoa titular do cartão)? Faça essas perguntas antes de decidir…
  • Estabilidade: o seu sistema de pagamentos precisa estar preparado para funcionar de forma rápida e ágil mesmo naqueles momentos em que há um grande volume de transações sendo realizadas ao mesmo tempo – como, por exemplo, em datas como a Black Friday. Isso garante que você não vai perder nenhuma venda por lentidão no sistema…
  • Integração à plataforma do site: seu sistema de pagamentos precisa apresentar soluções que agilizem e facilitem a integração com sua loja virtual
  • Diversidade de formas de pagamento aceitas: mais do que aceitar as principais bandeiras de cartão, sua plataforma precisa oferecer os melhores meios de pagamento para o e-commerce, evitando a perda de clientes que não conseguem pagar as compras de acordo com sua preferência.

Uma dica: procure entender o quanto a sua solução de pagamentos pode agregar de valor ao seu negócio, seja oferecendo as melhores soluções para a sua necessidade, seja oferecendo credibilidade, solidez e segurança para evitar problemas graves.

Por isso, nem sempre a melhor opção vai ser a mais barata do mercado, OK?

Como iniciar seu e-commerce e começar a vender online

Depois de seguir os passos acima e de estar com seu site pronto, é hora de preparar seu e-commerce para começar a vender online.

Ao contrário de uma loja física (que funciona em horário comercial), as vendas no e-commerce podem acontecer em qualquer dia e horário.

Por isso, você deve ter um processo de compra automatizado no seu site e estar sempre pronto para gerenciar pedidos todos os dias.

Este é o fluxo de compra no e-commerce:

  1. O cliente coloca os produtos que deseja no carrinho de compras, selecionando variáveis como quantidade, cor e tamanho;
  2. Cliente termina de escolher os itens e clica em “finalizar compra” para fechar o carrinho;
  3. Ocorre então o direcionamento para a página de checkout, onde será realizado o cadastro (caso a pessoa ainda não tenha uma conta na sua loja) e o pagamento;
  4. Na sequência, ela faz o login (ou cria uma conta) e escolhe a forma de pagamento. Lembrando: é muito importante ter um sistema que faça isso de forma segura e transparente, como mencionamos acima;
  5. Em seguida, ela confirma o pagamento e a transação é autorizada (ou negada) utilizando o gateway de pagamentos;
  6. Se o pagamento tiver sido aprovado, o pedido é confirmado e registrado no seu sistema como “pendente de separação e envio”. Na outra ponta, quem comprou recebe um e-mail avisando que seu pedido foi concluído e informando uma previsão de entrega.

Se você estiver com tudo automatizado e no lugar, o sistema poderá gerar outras notificações para quem comprou, informando qual o status da compra a cada etapa da separação e envio (código de rastreamento, se o pedido está em rota de entrega etc).

Além disso, ele irá gerar um pedido a cada nova compra realizada na sua loja virtual, fazendo o registro de recebíveis e emitindo automaticamente a nota fiscal.

Logo, seu papel será garantir que os produtos sejam separados e entregues dentro do prazo informado ao cliente.

Observe os requisitos legais para vender na internet

O Decreto n° 7962/2013, conhecido como “Lei do E-commerce”, determina algumas regras importantes para vender online. Confira:

  • É obrigatório exibir o nome da empresa, CNPJ, endereço físico e contatos no site;
  • É preciso disponibilizar informações claras sobre preço, características do produto, taxas cobradas, descontos e modalidades de pagamento;
  • É obrigatório conceder o Direito de Arrependimento de compra com devolução gratuita em até 7 dias úteis, conforme determina o Código de Defesa do Consumidor;
  • É preciso ter uma política de troca e devolução, além de oferecer a garantia obrigatória de 30 dias para produtos não duráveis e de 90 dias para produtos duráveis em caso de vícios e defeitos;
  • É preciso ser transparente na divulgação de promoções e ofertas;

Além disso, as lojas online são obrigadas a cumprir as normas da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). Veja as principais:

  • Criar mecanismos para obter consentimento dos titulares para toda coleta e tratamento de dados (atualizar termos de uso e política de privacidade na área de cadastro do site);
  • Nomear profissionais responsáveis pelo tratamento dos dados (controladores e operadores) e um DPO (Data Protection Officer) para cuidar de todo o processo;
  • Informar claramente qual a finalidade da coleta e uso dos dados;
  • Garantir o acesso aos dados pelos titulares a qualquer momento e também a exclusão, anonimização ou correção de informações, conforme solicitado;
  • Investir em segurança digital e monitorar riscos para proteger os dados pessoais e financeiros de clientes.

Tenha um e-commerce de sucesso: conte com a Cielo para receber pagamentos online

E como falamos antes, o sistema de pagamentos é essencial para você ter um e-commerce de sucesso! Afinal, para receber pagamentos online, você vai precisar de uma plataforma de pagamentos eletrônicos integrada à sua loja virtual.

Através dela, os pagamentos serão processados, fazendo a ponte entre seu e-commerce, as adquirentes de cartões e os bancos. É como uma maquininha de cartão virtual e 100% digital.

E na hora de integrar sua loja online com uma solução de pagamento ágil e segura, você pode contar com a Cielo! Mais de 50% dos negócios online do Brasil utilizam uma das nossas soluções de e-commerce.

Confira nossas principais soluções para você vender online com tecnologia e segurança:

Cielo Checkout

O Cielo Checkout é uma página de pagamento, pronta para ser integrada ao seu site. Com o nosso Checkout, você integra o seu site ou app de forma simples e ágil, dando mais segurança para seus clientes na hora de pagar.

Ele oferece:

  • Página de pagamento responsiva e personalizada, com a identidade da sua loja virtual;
  • Sistema antifraude integrado;
  • Cálculo de frete;
  • Cobrança de assinaturas através do pagamento recorrente.

Contrate agora o Cielo Checkout

Cielo API E-commerce 3.0

A API (Application Programming Interface ou Interface de Programação de Aplicativos) funciona como uma porta que conecta diferentes sistemas.

No caso, a API E-commerce 3.0 integra sua loja virtual à mais completa solução de pagamentos da Cielo.

Ela é totalmente personalizável com inteligência de dados e alta capacidade de processamento (ideal para empresas de maior porte), oferecendo mais segurança, performance e conversão no seu site ou app.

Contrate agora a Cielo API E-commerce 3.0!

Link de Pagamento

E se você quiser começar a vender na internet antes mesmo do seu e-commerce ficar pronto, pode contar com o Link de Pagamento.

Ele gera links para você vender usando e-mail, apps de mensagens ou as redes sociais, de forma fácil, segura e personalizada. É compartilhar e sair vendendo com:

  • Página de pagamento responsiva e customizada com a “cara” do seu negócio;
  • Integração com antifraude;
  • Pagamentos recorrentes (cobrança de assinaturas);
  • Cálculo de frete integrado.

E aí, bora juntar forças?

Receba uma proposta personalizada!

 

Matérias mais recentes

Ver mais matérias

Portfólio de Soluções! Encontre a que melhor combina com você.

Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo LIO

A máquina inteligente que trabalha por você e economiza seu dinheiro
Saiba mais
Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo FLASH

A maquininha ultraveloz para você vender muito mais
Saiba mais
Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo ZIP

A maquininha de cartão que cabe no seu bolso e não precisa de celular
Saiba mais

Entre em contato e prepare-se para vender mais:

Central de Relacionamento

4002-5472 (todas as localidades)
0800-579-8472 (exceto capitais)

Suporte Técnico

4002-9111 (todas as localidades)
0800-579-0111 (exceto capitais)

Ouvidoria

0800-570-2288