Você está em:

Dicas e Histórias de Sucesso

Como precificar um produto artesanal? Aprenda a colocar valor em suas criações

Você sabe como precificar um produto artesanal? Conheça três métodos diferentes e veja o que considerar ao calcular o preço.
Publicado por Equipe Cielo

Empreendedora fazendo um produto artesanal enquanto observa seu celular.

Como precificar um produto artesanal? Aprenda a colocar valor em suas criações 

Saber como precificar um produto artesanal é importante para que você tenha bons resultados com o seu trabalho. 

Seja para ganhar dinheiro na internet ou com vendas presenciais, seu sucesso vai depender da cobrança de um preço justo e atrativo. 

Para isso, existem muitos fatores a se levar em conta. 

Neste texto, vamos apresentar tudo o que você precisa saber na hora de definir como precificar um produto artesanal. 

Aprenda como precificar um produto artesanal

Existem alguns conceitos básicos para que você aprenda como precificar um produto artesanal e ganhar dinheiro com artesanato. 

Preste atenção nestas definições, pois elas são o ponto de partida para entender quanto cobrar pelo seu trabalho. 

Afinal, o que são produtos artesanais?

Produtos artesanais são itens confeccionados a partir de trabalhos manuais. 

Podem ser feitos com ferramentas simples, como martelos, alicates e espátulas. 

Porém, não se usa máquinas para padronizar a produção – ou seja, repetir o processo para que os itens saiam iguais. 

Logo, os produtos artesanais são únicos. 

Embora muitas peças possam ser parecidas, nenhuma é idêntica à outra, o que caracteriza um grande diferencial do artesanato. 

O que é precificação?

Precificação é a definição do valor a ser cobrado por um item. 

No nosso caso, este item é o produto artesanal, mas poderia ser um serviço ou uma matéria-prima. 

Essa definição precisa levar em consideração tudo o que foi necessário para que aquele produto fique pronto para vender. 

Além dos materiais usados, essa lista inclui vários outros aspectos, como o tempo necessário para a produção, o conhecimento e a habilidade do artesão, água e luz usados, e por aí vai. 

Dependendo do método usado, outros fatores são considerados, como a concorrência ou o próprio valor que o cliente percebe ao comprar um produto. 

A partir de agora, você vai entender como precificar um produto artesanal de formas diferentes. 

Como precificar um produto artesanal? Veja 3 métodos 

Existem diferentes métodos de precificação. 

Você pode escolher um deles ou aproveitar as ideias básicas de mais de um para definir como precificar um produto artesanal da sua maneira. 

Para isso, é preciso entender bem as estratégias que vamos mostrar agora.  

1. Preço baseado em custos

Neste método, o empreendedor leva em consideração tudo o que gastou na confecção de cada produto. 

Ao adotar essa técnica, é preciso considerar todo e qualquer custo que você tem para fabricar e vender seu artesanato. 

Contas de luz e água, aluguel de espaço e até alguma taxa, seja por vender no cartão de crédito ou em um marketplace que cobra um percentual a cada transação, precisam ser calculados. 

Depois de fazer uma estimativa dos custos por produto, é preciso somar a margem de lucro. 

2. Preço baseado na concorrência

Neste método, o empreendedor se baseia no valor cobrado pelos concorrentes para garantir sua competitividade – ou seja, a capacidade de se sobressair entre os demais artesãos. 

Para isso, é necessário fazer uma pesquisa para analisar os preços praticados pelos concorrentes. 

Este método é arriscado, pois definir um preço sem considerar seus custos pode comprometer sua margem de lucro. 

Porém, se você levar em conta somente seus gastos, pode acabar perdendo vendas para um concorrente que tenha um valor mais atrativo. 

Por isso, para saber como precificar um produto artesanal com precisão, o ideal é misturar esses dois métodos. 

Ainda há uma terceira estratégia que pode ser decisiva, como vamos ver na sequência. 

3. Preço baseado no valor percebido

Neste método, o empreendedor estima um valor que o cliente pode perceber em seu produto. 

A ideia é que o público enxergue o valor do que você oferece. 

No começo deste artigo, destacamos que cada produto artesanal é único. 

Portanto, para superar as metas é essencial que o cliente perceba que somente você é capaz de oferecer o produto desejado. 

Além de um bom marketing, também é importante que o público reconheça a qualidade e a utilidade do produto. 

Assim, o cálculo dos custos servirá apenas para você ver o quanto vai lucrar com cada venda. 

O que considerar ao calcular o preço de artesanato?

Seja qual for o método escolhido, para saber como precificar um produto artesanal é preciso levar em conta tudo o que você investe no seu trabalho. 

Veja a partir de agora os fatores que precisam estar no cálculo do seu preço. 

Custo fixo

O custo fixo da sua produção é aquele que vai continuar o mesmo todo mês, seja qual for a quantidade de itens que você produzir. 

Por exemplo, se você aluga um espaço para montar seus produtos ou para vender, o valor pago mensalmente é um custo fixo. 

Valores de taxas e impostos pagos mensalmente e prêmios de seguro também entram nessa categoria. 

Custo variável

Como diz o nome, este custo vai variar conforme a produção. 

Quando falamos em artesanato, o principal exemplo é a compra do material para a sua produção. 

Afinal, quanto mais artigos você fabricar, mais vai gastar com os insumos necessários para isso. 

Gastos com embalagens e com entrega, para quem vende artesanato pela internet, também entram nessa conta. 

Mão de obra

Pense no conhecimento e na habilidade que fazem com que você consiga confeccionar seus produtos, e no tempo que você dedica a cada peça. 

E se alguém fosse contratar você para fazer o que faz, quanto teria que pagar? 

Desta forma, você pode estimar sua mão de obra, ou seja, quanto vale o seu trabalho. 

Para pensar em um valor por produto produzido, você pode estipular um valor diário, semanal ou mensal e dividir pelo número de peças confeccionadas no período. 

Margem de lucro

Margem de lucro é o percentual que define o quanto você vai ganhar com a venda de cada produto depois de excluir todos os fatores que citamos acima. 

Ou seja, é aquela parte da venda que você vai efetivamente receber, já que o restante servirá para repor o investimento. 

Vamos dar um exemplo simples: digamos que, se você somar todos os gastos que teve com um produto, vai chegar ao valor de R$ 10. 

Com uma margem de lucro de 50%, você acrescentaria 50% de R$ 10, ou seja, somaria R$ 5 aos R$ 10 dos custos e cobraria R$ 15. 

Já com uma margem de lucro 30%, o valor cobrado pelo produto seria de R$ 13. 

Destinar uma parte do seu lucro para investir em novos equipamentos e outras melhorias é importante para que seu negócio continue crescendo. 

Tenha ótimas opções de pagamento e não perca vendas

Saber como precificar um produto artesanal é importante para seu negócio crescer e prosperar. 

Pode ser um pouco complicado, mas vale a pena planejar bem o seu preço para conseguir ganhar dinheiro sem abrir mão da competitividade. 

Além de cobrar valores justos, também é importante oferecer boas opções de pagamento para não perder vendas. 

Afinal, muitas pessoas podem não ter dinheiro à mão, ou simplesmente preferir pagar com um cartão ou por Pix. 

Com as soluções da Cielo, você pode fazer uma cobrança tranquila do jeito que o consumidor escolher. 

Você pode usar uma máquina de cartão de crédito para autônomos para vendas presenciais ou um link de pagamento para vender direto pelas redes sociais ou até pelo WhatsApp. 

Confira como a Cielo pode ajudar nas suas vendas! 


Portfólio de Soluções! Encontre a que melhor combina com você.

Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo LIO

A máquina inteligente que trabalha por você e economiza seu dinheiro.
Saiba mais
Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo FLASH

A maquininha ultraveloz para você vender muito mais
Saiba mais
Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo ZIP

Na Cielo Você ganha! sua maquininha de verdade.
Saiba mais

Entre em contato e prepare-se para vender mais:

Central de Relacionamento

4002-5472 (todas as localidades)
0800-579-8472 (exceto capitais)

Suporte Técnico

4002-9111 (todas as localidades)
0800-579-0111 (exceto capitais)

Ouvidoria

0800-570-2288