Você está em:

Produtos e Serviços

Como funciona a máquina de cartão de crédito?

Saiba como funciona uma máquina de cartão, quando elas surgiram e quais são os tipos existentes. Confira tudo isso em detalhes aqui!
Publicado por Equipe Cielo

Empreendedora insere cartão de cliente na máquina de cartão de crédito.

Se você tem algum tipo de comércio, certamente já se perguntou como funciona a máquina de cartão. Neste texto, vamos falar sobre esse assunto em detalhes. Afinal, nos dias de hoje, é cada vez mais importante oferecer a maior diversidade de meios de pagamento possível aos clientes. Acompanhe!

O que é uma maquininha de cartão de crédito?

A maquininha de cartão de crédito é a interface, ou seja, é quem faz o meio de campo entre o consumidor, a operadora e o seu negócio.

Em questão de segundos, ela se conecta à “bandeira” de cartão de crédito (que é como chamamos Visa, Mastercard e outras) e libera o pagamento com toda a segurança para você e para o seu cliente.

A importância dela para quem lidera um negócio no Brasil é evidenciada pelos números. Afinal, cada vez menos se usa dinheiro vivo ou cheque.

Há uma estimativa de que os cartões de crédito, débito e pré-pago respondam pelo pagamento de 60% das despesas das famílias do país inteiro em 2022.

Dessa forma, somados, ultrapassariam a expressiva marca de R$ 3 trilhões movimentados.

É até difícil imaginar quanto dinheiro é isso, não é mesmo?

O fato é que durante o ano de 2021, o uso dos cartões teve um crescimento de 33% em relação ao ano anterior.

Entre as três modalidades, quem mais se destaca é o cartão de crédito, responsável por girar R$ 1,6 trilhão, um aumento de 36,6%.

O cartão de débito subiu 20,2% e movimentou R$ 916,3 bilhões, enquanto os pré-pagos saltaram 158,5%, chegando a R$ 117,1 bilhões.

Os dados são de um levantamento da Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviços (Abecs), citado pela IstoÉ Dinheiro.

Quando surgiram as primeiras máquinas de cartão?

As primeiras máquinas de cartão foram criadas nos anos 1970 e funcionavam de forma bem diferente do que estamos acostumados hoje.

O Brasil ainda não contava com sistemas eletrônicos, que já começavam a aparecer em outros países, então, as máquinas imprimiam os dados do portador, que vinham em alto relevo no cartão.

O documento precisava ser assinado pelo cliente e, posteriormente, levado ao banco, que fazia a compensação do valor da venda.

O sistema começou a ficar mais parecido com o de hoje nos anos 1990, mas a tecnologia ainda era bem inferior.

As máquinas serviam para registrar a imagem do cartão, e o lojista tinha que telefonar para a operadora do cartão, solicitando um código para autorizar a venda.

A incorporação da tarja magnética, ainda no fim dos anos 1990, deixou as transações mais ágeis, por serem realizadas de forma online, mas ainda dependendo da internet discada da época.

A grande transformação veio com a chegada dos chips nos cartões, que podiam ser lidos automaticamente pelas máquinas, já nos anos 2000.

Depois disso, a evolução não parou: wi-fi, bluetooth, cartões de telefonia celular 2G/3G/4G e agora 5G, tudo isso deixou o processo cada vez mais rápido e cômodo.

Quais são os tipos de máquinas de cartão?

Há diversos tipos de máquinas de cartão.

Vamos ver alguns dos mais populares, classificados pelo modo de uso.

Você também pode acessar nosso guia completo sobre como escolher a melhor máquina de cartão.

Máquina de cartão com fio

A máquina de cartão com fio mais usada é a do modelo conhecido como TEF, que significa Transferência Eletrônica de Fundos.

Geralmente, essa maquininha é conectada a um computador, por isso, é muito comum em estabelecimentos físicos com caixa, como grandes redes de supermercados, farmácias e outras lojas presenciais.

É basicamente um software que registra as transações e as envia para as operadoras.

A vantagem desse modelo é que ele é multiadquirente – uma única máquina permite trabalhar com diversos adquirentes, ou seja, as empresas operadoras de cartão.

Porém, é importante lembrar que boas adquirentes, como a Cielo, operam com praticamente todas as bandeiras disponíveis.

Além da TEF, também é possível ver por aí a maquininha POS, que significa Points Of Sales (Pontos de Vendas), operando com fio.

Esse modelo funciona com uma linha telefônica, por isso não precisa do computador para o uso do software – e também imprime o recibo por conta própria.

Geralmente, essas máquinas trabalham com apenas um adquirente, o que não chega a ser um problema, mas é importante observar as taxas cobradas e ter cuidado ao fazer a conciliação das vendas no final do período.

Máquina de cartão sem fio

As máquinas do tipo POS também podem ser sem fio.

A POS Wireless fica desconectada do computador ou mesmo do caixa e é boa para restaurantes, por exemplo, que levam a máquina à mesa na hora em que o cliente pede para fechar a conta.

Porém, ainda são presas ao estabelecimento.

Há uma alternativa sem fio ainda mais livre, que é a POO, ou Point Of Outdoor (Ponto de Venda Externo), que é parecida com a POS, mas não precisa estar conectada a uma linha telefônica.

É perfeita para quem trabalha com delivery e precisa enviar a maquininha pelo entregador, por exemplo.

Uso do celular como máquina de cartão

As maquininhas mobile funcionam conectadas a um celular, geralmente por bluetooth.

É a mais usada por taxistas e motoristas de aplicativo, além de vendedores ambulantes, que também já se renderam a essa facilidade.

Neste caso, é preciso ter o aplicativo do adquirente instalado no smartphone.

O recibo pode ser enviado ao cliente por SMS.

Como funciona a máquina de cartão?

O processo de funcionamento da máquina de cartão pode parecer complexo, mas na verdade é bem simples.

O consumidor comunica que deseja pagar com cartão de crédito, por exemplo.

A loja ou vendedor disponibiliza a máquina (seja de qual for o tipo, como vimos acima), que é fornecida por uma operadora, como a Cielo.

A máquina lê os dados e os envia à bandeira, que é quem aprova a transação ou não.

O cliente digita a senha (a menos que seja um pagamento por aproximação abaixo de R$ 200) e, em caso de aprovação, a compra é efetivada.

Para o lojista, o valor da compra no crédito pode levar entre poucos dias até um mês para ser transferido.

Como funciona uma venda no débito?

A venda no débito funciona de forma idêntica, com duas diferenças básicas.

Em vez da operadora, é o banco que efetiva a compra, após verificar se há saldo suficiente na conta do cliente.

E o valor geralmente cai na conta do vendedor em um dia útil.

Como funciona uma venda parcelada no cartão?

A venda parcelada no crédito funciona igual à venda à vista. A diferença é o prazo para receber.

Normalmente, o lojista também recebe “em suaves prestações”, o que pode ser um problema para o fluxo de caixa.

Mesmo assim, é importante oferecer esta opção, afinal, segundo pesquisa do Datafolha, 75% dos usuários de cartão no Brasil parcelam suas compras.

Além do mais, também há ferramentas para vender parcelado e receber à vista.

Quais são as vantagens da máquina de cartão para o empresário?

Como você já deve ter percebido ao longo deste texto, vale a pena investir em uma máquina de cartão.

As vantagens para qualquer tipo de negócio são muitas. Vamos ver as principais:

  • Aumento nas vendas: ampliando as formas de pagamento, você dá mais opções para o cliente pagar por seus produtos e serviços
  • Retenção de clientes: se o cliente não puder comprar de você com cartão, ele vai comprar em outro lugar
  • Redução da inadimplência: os pagamentos, até mesmo a prazo ou parcelados, são garantidos pela operadora e não são mais problema seu
  • Segurança: nada de andar por aí carregando dinheiro de vendas importantes.

Como ter uma maquininha de cartão de crédito?

Se você é um empreendedor e seu negócio está nas fases iniciais, a dica é comprar uma máquina de cartão para não se preocupar com aluguel e mensalidade.

Neste caso, depois de comprar, você só vai pagar as taxas por vendas – claro, também é possível alugar a máquina, se você preferir.

Para garantir a sua, é muito fácil.

A Cielo disponibiliza diversos tipos de máquinas para você escolher a que atende melhor às necessidades do seu negócio.

Clique em “eu quero” e preencha o cadastro pelo site mesmo.

Ao finalizar, você já poderá vender pelo app Cielo, que transforma o seu celular em maquininha, e em breve vai receber a sua máquina.

Quais são as principais bandeiras aceitas na máquina de cartão da Cielo?

A Cielo aceita todas as bandeiras no débito, crédito, vale refeição e alimentação.

Ao vender com a Cielo, você pode receber pagamentos em:

  • Visa
  • Mastercard
  • Elo
  • American Express
  • Diners
  • Hipercard
  • Alelo
  • Ticket
  • VR
  • Sodexo
  • Entre outras.

E tem ainda Pix e QR Code.

Parcele as vendas a partir de um determinado valor e aumente o ticket médio

Como a gente adiantou antes, oferecer a opção de vender parcelado é importante no nosso país.

Isso aumenta o poder de compra do consumidor brasileiro, o que afeta diretamente um indicador importante para o seu negócio: o ticket médio.

Afinal, compras a partir de determinado valor podem ser acessíveis somente no prazo.

Conheça os nossos produtos, escolha a sua maquininha e fature muito mais com a Cielo.


Portfólio de Soluções! Encontre a que melhor combina com você.

Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo LIO

A máquina inteligente que trabalha por você e economiza seu dinheiro.
Saiba mais
Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo FLASH

A maquininha ultraveloz para você vender muito mais
Saiba mais
Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo ZIP

Na Cielo Você ganha! sua maquininha de verdade.
Saiba mais

Entre em contato e prepare-se para vender mais:

Central de Relacionamento

4002-5472 (todas as localidades)
0800-579-8472 (exceto capitais)

Suporte Técnico

4002-9111 (todas as localidades)
0800-579-0111 (exceto capitais)

Ouvidoria

0800-570-2288