Você está em:

Dicas e Histórias de Sucesso

Vestuário: é hora de se preparar para o fim do ano

Publicado por Equipe Cielo

Na reta final de 2017, começam os preparativos para as vendas do fim do ano. Dada a base de dados de mais de 500 milhões de vendas por mês realizadas em todo o país pelas plataformas da Cielo, é possível acompanhar de perto como estão as vendas no varejo. Por ser uma fotografia real do desempenho do setor, não há como prever se o ritmo de crescimento das vendas no período das festas de final do ano será melhor ou pior que no ano passado. Mas já dá para afirmar que alguns setores vêm apresentando clara melhora em 2017.
É o caso da área de vestuário, conforme nos aponta o ICVA – Índice Cielo do Varejo Ampliado. Pelo histórico do índice, mostrado na imagem, o setor vinha apresentando retração nas vendas – mesmo sem descontar a inflação – desde o terceiro trimestre de 2015. Ou seja, os lojistas enxergavam sua receita de vendas em reais cair em relação ao mesmo período do ano anterior.
Essa realidade mudou. E para melhor. No primeiro trimestre deste ano, o faturamento das lojas de roupas, acessórios e artigos esportivos cresceu em média 1,8% em relação ao mesmo período de 2016. E, no segundo trimestre, esse ritmo ainda acelerou para 2,0% de crescimento.
ICVA Nominal
Pode até parecer pouco, mas é uma recuperação expressiva se for analisado o histórico recente. Mais do que isso: como pode se ver no gráfico, essa taxa de crescimento já está mais alta do que a da média do varejo em geral, que inclui muitos outros setores, como supermercados, postos de combustíveis, drogarias, turismo, bares e restaurantes, materiais de construção, móveis, eletrodomésticos e lojas de departamento, entre outros.
Já para os shoppings, a participação do setor de vestuário é ainda mais relevante: enquanto no varejo em geral, incluindo lojas em todos os tipos de localidades, o vestuário representa 12% do faturamento de vendas, nos centros de compras este percentual sobe para 36%. Portanto, uma recuperação deste setor é um ótimo sinal tanto para administradores de shoppings quanto para os lojistas ali instalados.
Representatividade do setor de Vestuário
Além disso, o setor de vestuário é um dos que têm, historicamente, o maior salto de vendas no final do ano, fortemente influenciadas pelo Natal. Aproximadamente 14% das vendas anuais deste setor são feitas no mês de dezembro. Assim, é importante estar preparado para receber este pico de demanda.
Ainda que não seja possível prever como serão as vendas neste final de ano, o cenário é de melhora – especialmente para um setor tão relevante como o de vestuário. Para quem é do ramo, fica a mensagem: é importante se preparar para aproveitar essa onda e garantir um bom fechamento de ano.
*O Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) acompanha mensalmente a evolução do varejo brasileiro de acordo com a sua receita de vendas, com base em um grupo de mais de 20 setores mapeados pela Cielo, de pequenos lojistas a grandes varejistas. O peso de cada setor dentro do resultado geral do indicador é definido pelo seu desempenho no mês.
O ICVA foi desenvolvido pela área de Inteligência da Cielo com base nas vendas realizadas nos mais de 1,6 milhão de pontos de vendas ativos credenciados à companhia. O índice não representa de forma alguma a prévia dos resultados da Cielo, que é impactado por uma série de outras alavancas, tanto de receitas quanto de custos e despesas.
 

Quero vender mais

 


Portfólio de Soluções! Encontre a que melhor combina com você.

Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo LIO

A máquina inteligente que trabalha por você e economiza seu dinheiro.
Saiba mais
Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo FLASH

A maquininha ultraveloz para você vender muito mais
Saiba mais
Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo ZIP

Na Cielo Você ganha! sua maquininha de verdade.
Saiba mais

Entre em contato e prepare-se para vender mais:

Central de Relacionamento

4002-5472 (todas as localidades)
0800-579-8472 (exceto capitais)

Suporte Técnico

4002-9111 (todas as localidades)
0800-579-0111 (exceto capitais)

Ouvidoria

0800-570-2288