Você está em:

Dicas e Histórias de Sucesso

Como fazer desligamento de funcionário? Evite o constrangimento e conflitos

Quer saber como fazer desligamento de funcionário da melhor maneira? Veja este passo a passo e se prepare para este momento sempre delicado.
Publicado por Equipe Cielo

Gestora fazendo desligamento de funcionário, ambos estão sentados em uma mesa. Ela faz o comunicado através de um envelope.

Nunca é fácil enfrentar situações como fazer desligamento de funcionário, mas quando chega a hora, existem formas de fazer isso da maneira certa.

A saída de um colaborador, afinal, pode afetar as rotinas administrativas da empresa e a produtividade da equipe, principalmente se não for conduzida com cuidado.

Por isso, nunca é uma ação simples.

Como fazer desligamento de funcionário? Cuidados que amenizam o processo

Confira a partir de agora algumas dicas que poderão ajudar você a se preparar para a hora de fazer o desligamento de um funcionário.

Marque uma reunião

Uma demissão é sempre um momento sensível, então, marque uma reunião presencial em um local reservado para ficar cara a cara com o colaborador.

Em alguns casos, um profissional de recursos humanos pode acompanhar o encontro para auxiliar não só com a conversa, mas também com a papelada.

Evite videoconferência e nem pense em comunicar o desligamento por telefone ou mensagem.

Dê a notícia você mesmo

Se você é responsável por gerenciar uma equipe, precisa assumir esse papel em todos os momentos – e não só nas horas boas.

Isso também vale para quem administra um pequeno negócio, em que o empreendedor é responsável pela gestão dos funcionários.

Portanto, se você é quem gerencia sua equipe, é sua a tarefa de comunicar o colaborador da saída dele.

Pode ser que outras pessoas da empresa saibam de antemão da notícia, o que é sempre ruim.

Nessas horas, é preciso manter a confidencialidade até o momento do desligamento, evitando constrangimentos desnecessários.

Não demita de surpresa

Uma tarefa como essa de fazer o desligamento de um funcionário deve ser bem planejada, de acordo com o motivo.

Se a decisão foi tomada devido ao baixo desempenho do colaborador, antes da demissão ele deve receber feedbacks da chefia para saber que está abaixo do esperado e que precisa melhorar para seguir no time.

Desta forma, quando a demissão ocorrer, o funcionário não poderá alegar surpresa ou desconhecimento da situação.

Da mesma forma, se a empresa precisa cortar custos, procure ter transparência com sua equipe em relação a isso.

Não fique “de conversa fiada”

O ideal é comunicar sobre a decisão logo no início do encontro.

Procure fazer isso de uma maneira clara, direta, porém com calma e de uma maneira gentil.

Alguns gestores podem cair no erro de iniciar a conversa agradecendo e realizando feedbacks.

Sem dúvidas, é importante fazer isso, desde que o trabalhador já saiba o motivo da conversa.

Valorize as qualidades do funcionário

Cada pessoa pode reagir de uma maneira diferente diante de uma decisão desse tipo.

Algumas podem se sentir desmotivadas a seguir na profissão.

Por isso, reconhecer as qualidades do funcionário é uma forma de incentivá-lo a buscar uma posição diferente em outra empresa ou a começar a trabalhar por conta própria.

Afinal, todo mundo tem qualidades a serem exploradas.

Separe o pessoal do profissional

Em alguns casos, a relação entre gestor e colaborador pode tornar o processo de desligamento do funcionário bem desafiador.

Quando os dois se dão bem a ponto de terem se tornado amigos, é sempre mais difícil anunciar a demissão.

O bom relacionamento, claro, pode ajudar na hora de dar algum consolo.

Ainda assim, seja profissional e não deixe que a relação pessoal interfira na tarefa de comunicar a demissão.

Respeite a reação do funcionário

Um funcionário demitido pode reagir de maneiras diferentes.

Alguns podem chorar ou discutir, outros podem se manter firmes ou ser irônicos.

Ainda que você não goste do que a pessoa tem a dizer, procure ouvir.

Não havendo falta de respeito ou algum tipo de ameaça física, o melhor a se fazer é deixar que a pessoa diga o que tem vontade.

Comunique o time sobre a demissão

Além de afetar diretamente a vida do trabalhador demitido, a saída também causa grande impacto na rotina de uma equipe, podendo até afetar a saúde mental dos colaboradores que ficam.

Por isso, é importante comunicar também toda a equipe sobre a decisão, mas em um momento separado.

Depois que o colaborador for desligado, ele pode querer se despedir dos agora ex-colegas.

Se possível, é muito importante que eles já saibam o que aconteceu quando essa hora chegar.

Quais os tipos de demissão?

Para saber como fazer o desligamento de um funcionário, é preciso entender os quatro tipos de demissão possíveis.

A seguir, confira quais são.

Demissão por justa causa

A demissão por justa causa é aquela que ocorre porque o funcionário agiu de má fé, comprometendo a relação de confiança com seus gestores.

Nesses casos, o trabalhador perde vários direitos garantidos por lei para casos de demissão.

Por isso, é preciso que o funcionário tenha cometido uma falta grave, conforme é previsto no artigo 482 da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).

Existem 14 faltas previstas, entre elas abandono de emprego, indisciplina e negociações paralelas no ambiente de trabalho.

É preciso analisar bem uma possível justa causa para não ter problemas na Justiça depois.

Demissão sem justa causa

A demissão sem justa causa é aquela feita por decisão da empresa, mas sem que o funcionário tenha cometido alguma das faltas previstas na CLT.

Nesse caso, é preciso avisar sobre a demissão 30 dias antes, ou pagar o valor do aviso prévio com base em sua remuneração.

Além disso, o colaborador tem alguns direitos:

  • Valor das férias proporcionais ao período trabalhado, acrescidas de um terço
  • Saldo do salário conforme o período trabalhado no mês da demissão
  • 13º salário proporcional
  • Multa de 40% do saldo do FGTS
  • Saque do FGTS
  • Seguro-desemprego

Demissão consensual

A demissão consensual, ou demissão por acordo trabalhista, ocorre quando a empresa e o trabalhador negociam a saída em comum acordo.

A modalidade surgiu a partir da Reforma Trabalhista de 2017, para flexibilizar as regras da demissão sem justa causa em situações em que tanto o trabalhador quanto a empresa têm interesse na saída.

  • Valor das férias proporcionais ao período trabalhado, acrescidas de um terço
  • Saldo do salário conforme o período trabalhado no mês da demissão
  • 13º proporcional
  • 50% do valor do aviso prévio
  • Multa de 20% do saldo do FGTS
  • Saque de até 80% do saldo do FGTS

Pedido de demissão pelo funcionário

Neste caso, o funcionário é quem decide deixar a empresa.

Ao pedir demissão, o colaborador abre mão de diversos direitos trabalhistas, e receberá apenas:

  • Valor das férias proporcionais ao período trabalhado, acrescidas de um terço
  • Saldo do salário conforme o período trabalhado no mês da demissão
  • 13º proporcional.

Quais são os motivos para demitir um funcionário?

Antes de planejar como fazer o desligamento de um funcionário, é importante pensar nas razões que levam a empresa a tomar essa decisão.

Um dos principais motivos é a baixa produtividade.

Porém, nesse caso, é preciso esgotar as possibilidades de manter o funcionário.

Muitas vezes, a falta de um treinamento adequado ou uma gestão que não estimula o colaborador podem levar a uma demissão que poderia ser evitada.

Lembre-se de que é muito mais caro para a empresa demitir um funcionário e contratar outro do que manter o colaborador e investir em seu desenvolvimento.

Por falar nisso, o corte de gastos também pode levar a uma demissão.

Embora ainda seja preciso pagar os direitos trabalhistas, a saída do colaborador pode aliviar os gastos mensais e até possibilitar os financiamentos.

De qualquer maneira, é importante pesar todos os prós e contras antes de tomar essa decisão.

Erros que você deve evitar ao desligar um funcionário

Além de saber como fazer desligamento de funcionário, também é importante tomar cuidado para evitar alguns erros que podem acontecer.

De acordo com a Lei 7.238/84, a demissão não pode acontecer no período de um mês antes da data-base, que é a correção salarial definida por acordo, convenção ou dissídio coletivo.

Esse erro pode sair bem caro, pois a pena é a multa de um salário.

Também não é recomendável demitir funcionários na sexta-feira ou véspera de feriado.

Além de estragar o final de semana do ex-colaborador com sua família, esta é uma conduta que pega mal para toda a equipe.

Descuidar da documentação necessária, deixar de oferecer aviso prévio ou permitir que a informação vaze antes de comunicar a pessoa também são erros a serem evitados.

Além disso, é importante exercer a liderança no dia a dia da sua empresa para ser visto como uma referência pela sua equipe.

Para isso, leia o nosso artigo sobre diferenças entre chefe e líder.


Portfólio de Soluções! Encontre a que melhor combina com você.

Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo LIO

A máquina inteligente que trabalha por você e economiza seu dinheiro.
Saiba mais
Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo FLASH

A maquininha ultraveloz para você vender muito mais
Saiba mais
Portfolio de soluções encontre a sua.

Cielo ZIP

Na Cielo Você ganha! sua maquininha de verdade.
Saiba mais

Entre em contato e prepare-se para vender mais:

Central de Relacionamento

4002-5472 (todas as localidades)
0800-579-8472 (exceto capitais)

Suporte Técnico

4002-9111 (todas as localidades)
0800-579-0111 (exceto capitais)

Ouvidoria

0800-570-2288